Será que você está preparado para trabalhar na área de Inteligência de Mercado?

By

Antes de qualquer dica, você precisa entender que, em inteligência de mercado é regra básica estar à frente, isto é, deixar o pensamento dar um pulo no amanhã para planejar o melhor caminho e garantir um bom resultado.

Ter a mente povoada de ideias, criatividade e o mais importante, não ter medo de arriscar, tentar e testar novas táticas são parte do DNA deste especialista.

Saiba agora o passo a passo necessário para atuar em inteligência de mercado e, o mais importante, se destacar. Já que ninguém quer ser um profissional coadjuvante.

O perfil ideal

Júnior, sênior e pleno são apenas degraus desta escada profissional a qual a maioria está a subir, independente da nomenclatura, algumas características básicas conectam as pessoas que fazem parte da mesma profissão.

Existem aqueles que estão dentro do esperado em inteligência e aqueles que se destacam. Se você pretende atuar com destaque, saiba a seguir qual o perfil ideal.

Conversamos com dois profissionais que têm propriedade para falar sobre inteligência de mercado, e eles deram algumas dicas que podem te direcionar nesse árduo caminho até o degrau de cima.

O Claudio Wiltemburg, conselheiro da Ibramerc e business intelligence na AbbVie Farmacêutica, contou o que é essencial para ser um bom profissional de inteligência de mercado: “gostar de responder à questões complexas e ter o autocontrole para fugir da superficialidade e banalidade. Minha definição do profissional de IM é aquele(a) que responde à questões ou perguntas de negócio que ajudam seus clientes a tomar decisões ou elaborar estratégias de negócio, sempre de maneira estruturada e baseada em alguma forma de evidência, informação ou análise”.

 1 – Tenha estratégia

Analisar a situação do mercado, o modus operandi do concorrente, estudar prós e contras do projeto em andamento e ter malícia para tomar as decisões mais acertadas são possíveis apenas a um profissional com perfil estratégico.

2 – Tenha fontes

Não há profissional de sucesso que não conte com uma ou mais fontes, ter a quem consultar, seja para um projeto ou para o trabalho todo. Mentores profissionais enriquecem o conhecimento de quem os procura e dão novos horizontes na concretização de algum objetivo.

Ter fontes é, também, positivo para desenvolver uma conexão com seu setor, fazer pontes com outras áreas e gerar credibilidade e confiança essenciais em inteligência de mercado.

O Claudio Wittemburg explica: não cabe o “achismo”, um profissional de IM deve sempre basear-se em alguma fonte para fazer suas colocações, esta é sua responsabilidade com o tomador de decisão e a organização em que trabalha”.

3 – Tenha curiosidade

Em qualquer profissão, curiosidade serve como bússola, quem perde a vontade de aprender e descobrir estagna-se no comodismo e não tem caminhos a frente.

A Daniela Benetti, consultora na Gauss Consultores Associados e professora na Ibramerc, acredita que “a curiosidade desperta “gatilhos” para análise de dados, cenários e cruzamento de informações (internas e externas) o que potencializa a cobertura dos temas em estudo. Este profissional deve ter boa capacidade analítica e de relacionamento“.

O Claudio complementa: “curiosidade investigativa, gostar de entender as reais causas de um problema. Caráter integrativo, saber juntar várias peças em uma resposta única a seus clientes” compõem o perfil ideal de um profissional de inteligência de mercado.

4 – Analise

Estratégia e curiosidade são essenciais, mas para ter sucesso na execução do trabalho é necessário ter um perfil, também, técnico, para assim organizar e mensurar todos os dados que fazem parte das funções do profissional.

O Claudio explica que precisa seranalítico, saber extrair o que é relevante em montanhas de dados e informações quantitativas e qualitativas à sua disposição” para fazer a diferença na hora de colocar a mão na massa.

5 – Tenha boa comunicação e interpretação

Para o Claudio Wittemburg, comunicar-se é o básico para encontrar as respostas necessárias na execução de um bom trabalho de inteligência de mercado: “comunicação, saber ouvir e interpretar as necessidades de seus clientes e depois comunicar eficientemente as respostas. Conhecer com proficiência o negócio de seu cliente” facilita muito no dia a dia.

Ao falar e ouvir é possível perceber muitas coisas as quais, geralmente, passam despercebidas durante o expediente, mas que no fim das contas, fazem toda a diferença.

6 – Esteja atualizado

Frequente eventos da área, faça muitos cursos, leia conteúdos relacionados, assista palestras, vá a workshops, etc., esteja por dentro do que acontece em inteligência de mercado.

Converse com os melhores profissionais que você conhece, inspire-se em pessoas, aprenda com o que der errado até fazer dar certo.

Como está o mercado para o profissional de inteligência de mercado?

Se você pretende fazer parte deste mundo, é importante entender como está o mercado para o profissional de inteligência.

O Claudio contou que o mercado “está em transformação, basicamente por 2 motivos: 1) A velocidade quase instantânea das tomadas de decisão nos ambientes digitais, isto reduz muito o tempo para o profissional de IM elaborar suas análises e estudos e os(as) obriga a ter um nível de antecipação aos problemas e questões muito grande. Suas rotinas de coleta e análise precisam estar sempre pré-formatadas e automatizadas para atender à esta demanda de velocidade nas respostas. 2) Migração das interações pessoais para online. Isto faz com que os dados qualitativos migrem do mundo físico para o virtual, o que chamamos de Big Data. Os profissionais de IM precisam entender como analisar e extrair insights confiáveis neste meio. Ferramentas valiosas, como estatística, passam a ter menor importância e outras, como análise léxica, passam a ter destaque”.

Em contrapartida, contratar o profissional ideal tem sido muito difícil, o Claudio explica que: “por incrível que pareça, minhas maiores dificuldades têm sido os conhecimentos básicos que deveriam ter sido adquiridos no ensino básico, médio e faculdade, como matemática (muitos candidatos não sabem conceitos básicos como cálculos de juros compostos), saber escrever corretamente em português (não conseguem escrever um bom relatório analítico-conclusivo) e uso das ferramentas de automação de escritório como PowerPoint. Os candidatos precisam ter conhecimentos básicos, mas importantes, para poderem evoluir para conceitos e ferramentas mais sofisticadas”.

Como entrar na área?

“A melhor maneira é frequentar fóruns, cursos, palestras especializadas no meio. Isto ajuda a entender bem como funciona esta carreira, suas demandas e desafios e conhecer profissionais da área. Por se tratar de um perfil bastante específico, muitos profissionais que ingressam na área, acabam dedicando uma porção importante de suas carreiras à ela ou até toda a sua carreira” explica o Claudio.

Como ser um profissional de sucesso?

“Parceria com seus clientes” é, de acordo com o Claudio, um dos pontos mais importantes para atuar em inteligência de mercado e ter sucesso: “eles (clientes) devem percebe lo(a) como um parceiro estratégico de negócio, não como um fornecedor de dados e informações que, na verdade, lhe dará mais trabalho para analisar. Assim, o profissional de IM deve sempre estar próximo de seus clientes, entender efetivamente suas necessidades de decisão e elaboração estratégica e trazer proativamente soluções e respostas que o ajudem neste sentido. Mas sempre embasados em conceitos técnicos e metodológicos adequados, não “chutes” que poderão levar à decisões e estratégias erradas”.

A Daniela Benetti complementa: “o sucesso pode ser mensurado principalmente pelas entregas e geração de insights acionáveis para a tomada de decisão. Neste sentido, o entendimento do negócio (objetivo e limitações) e das necessidades dos clientes internos é fundamental para que os estudos desenvolvidos sejam realmente utilizados como fonte pelos tomadores de decisão. É fundamental também que este profissional esteja sempre atualizado sobre questões do ambiente externo para ter condições de contextualizar o cenário interno. Quanto mais úteis as entregas deste profissional, mais destaque ele tende a ter”.

Agora que você sabe quais são as características mais importantes para se dar bem em inteligência de mercado, que tal checar  quais destas você possui e melhorar o que pode ser melhorado?

10 respostas
    • Beatriz Prieto
      Beatriz Prieto says:

      Oi, tudo bem?
      Ficamos super satisfeitos em receber comentários como os seus!
      Cadastre-se para conferir em primeira mão todas as nossas publicações.
      Abraços

      Responder
  1. Cesar Albuquerque
    Cesar Albuquerque says:

    Muito bom artigo! Poderiam fornecer fontes de estudos ou foruns/portais com conteúdos voltados para os profissionais de Inteligência de Mercado? Obrigado!

    Responder
    • Beatriz Prieto
      Beatriz Prieto says:

      Oi, Cesar, tudo bem?
      Nosso blog está só começando mas muitos títulos voltados ao setor de Inteligência de Mercado serão publicados.
      Aqui você vai conhecer novas técnicas, ferramentas, novidades e tendências de IM, bem como informações sobre o mercado e perfil profissional da área.
      Cadastre-se e aguarde as novidades! 😉

      Responder
  2. Amanda
    Amanda says:

    Super interessante este material, de orientações claras e fundamentadas com base de relatos de especialistas da área.
    Nos faz pensar fora da caixa.
    Parabéns….Gostei muito!!!

    Responder
    • Beatriz Prieto
      Beatriz Prieto says:

      Oi, Amanda, tudo bem?
      Que bom que gostou no texto!
      Já deu uma olhada nos outros posts do blog? Tenho certeza que vai encontrar algo que possa te interessar 😉

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *